segunda-feira, 11 de maio de 2009

Ustream e Justin TV´s da vida


Fiz algumas experiências com o #blocodainsonia que vou insistir que permaneça no ar, a partir da semana que vem e até porque tenho um movimento colaborativo pra cumprir, com a mesma metodologia do que exerci a outra atividade anterior e é uma meta minha pra alcançar objetivos tais como alcancei com sucesso na blogagem do #MBV2009.
Fui ao Justin.TV, pois o meu Ustream.TV deu um problema, e quis abrir 1 canal que estava passando 1 programa engraçado ao meu ver, já que estava lá muito alegre, topei tentar.
A primeiro momento, me diverti, fui banida por 1 regrinha besta de caps lock, mas regras, são regras, tudo bem, né?
Depois conversando com o dono do pedaço, achei interessante a proposta e o cara foi bacana e me cativou pra ficar e ele me instigou por skype pra comentar.
Só que junto a ele mais 2 comentaristas ficavam falando, e 1 delas tagarelando, ditando regras, tachando e sacaneando geral com quem eles puxavam conversa no skype.
Primeiro, a menina que não se identificava e nem sabíamos o que era veio falando pro menino que era virgem pra ele pegar alguma mulher e segundo que regrinhas que pessoas criam são um bando de bobagens e que a Bíblia é um livro cheio de historinhas e que você aceita se você quiser.
Já não curti muito... mas fui vendo qual era a da menina.
Daí, a menina começou a conversar com 1 garoto do MT e ele disse que concordava com o colega e falou do Rio de Janeiro, e a menina do Rio disse que o Rio era maravilhoso, sensacional e tudo mais, e o menino depôs que tinha sido assaltado em Copacabana, daí pronto, a guria saiu falando merda pela boca, dizendo que o menino deu mole, e que ele não deveria ir pra Zona Norte, deveria procurar ir mais à Barra... Detalhe, resumo da ópera, não aguentei e perguntei onde morava, e ela primeiro disse que em Campo Grande e depois ela disse que morava na Barra, mas nesse ínterim, eu falei que Campo Grande não é perigoso não, mas tem mElícia (lógico que eu sei que era Milícia), mas ela já tinha se empombado com algumas pessoas e cismado de corrigir as pessoas como se fosse da Academia Brasileira de Letras. E eu danei de escrever errado e insistir. A menina quase surtou, queria me bater, e chamaram-me pro skype e eu fui.
Começaram a me usar de boba da corte, perguntando intimidades e rindo direto da qualidade do meu áudio e tudo mais.
Enfim, desliguei na cara da estressada para quem pedi desculpas zilhões de vezes pelos incômodos e nada de compreensão, só grosseirias.
Ok, saí e fiquei muito irada mesmo, porque ninguém gosta de ser utilizado como bobo da corte.
Passei 1 noite inteira ouvindo uma maria ninguém falando asneiras e impondo o que queria, regada e trêbada nitidamente de vinho e falando inclusive as bobagens que falou sobre drogas, narcotráfico e etc...
Isso me indignou, por pensar: quantos programinhas inconsequentes estão sendo produzidos noite afora?
Já entrei em alguns dos CQC´s da vida e os humoristas do Twitter e cia, todos, zoando e debochando e desrespeitando dos seus visitantes.
O que tem de tão engraçado nesse humor de mal gosto e tão pouco artístico e criativo que todos os jovens quase que em sua totalidade tanto dão IBOPE?
Gente, sério, vou lutar por conteúdo, sempre, acho que podemos rir, na boa, mas com bom gosto, senso, educação, arte e inteligência, entende?
Por isso, acho que ao invés de dar tanta ênfase e visitação a esses caras, sigam pessoas que realmente possam agregar algo nas suas vidas, mesmo que através do humor.

Boa semana a todos,

Profª Cristiana Passinato