sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Pensando sobre a caridade e o amor


Participo todos os dias de 1 programa maravilhoso de Rádio, mediado pelo grande professor Gabriel Chalita que nos faz crescer como Seres Humanos todos os dias em doses homeopáticas e escrevi uma resposta a 1 postagem em 1 comentário que achei que merecia ser blogada, então, lá vai ela:

Sobre o tweet do @Gabriel_Chalita, abri o link, li e ouvi e depois escrevi o que segue abaixo:

RT @Gabriel_Chalita Uma linda história de esperança e de solidariedade, enfim, de natal. http://migre.me/dWuw Vale a pena ler
Ouvi de novo o PA, reli o texto e não quis emitir minha opinião diretamente aqui no blog.


Fui pra casa, descansei e parei para pensar.

Sempre tive necessidade de ser boa, uma ânsia mesmo.

Tenho trabalhos no passado e durante minha vida e passo o ano inteiro dando a mão aos alunos por aí perdidos e professores que querem debater sobre questões sobre Educação e Química, e estou vivendo 1 tempo de reflexões.

No Twitter, tento, digo tento pois muitas vezes a gente não consegue, fazer um trabalho de dar as mãos a projetos bacanas e que a gente sente a essência do bem através deles, e desenvolvo um twitter útil com a perspectiva de ser 1 atualização dos meus blogs que mantenho na rede de instante a instante.

Sou frenética nisso, ganhei destreza e velocidade nas minhas atividades por usar muito.

Eu trabalho informalmente e do que ganho, em parte tento ser solidária e fazer a minha parte, distribuindo amor na forma de caridade quando é possível.

Esse exame de consciência vem numa época em que resolvi criar 1 twitter pessoal pra não misturar as coisas dos blogs com a minha necessidade de religiosidade e interatividade com os twitters da CN e das pessoas que conheço em torno das temáticas da CN.

Vc, Gabriel, sempre foi a doce surpresa sempre tão presente e interativa disso tudo. Vc é responsável pelo que cativa, já dizia o autor do "Pequeno Príncipe", vc é amado na proporção de que nos dá o seu amor. O que acontece é que a forma de amar de cada 1 é diferente, e vc sabe administrar bem tudo que é vindo e vc reverte em mais amor ainda.

Pq estou dizendo isso? Pq muitas vezes sou empolgada demais, devo até atrapalhar com meus tweets, mas nunca, de forma alguma, em momento nenhum o sentido não era de aprendizado e troca.

Posso diminuir isso? Quem sabe!

Até estou pensando em cuidar disso profissionalmente, risos, meu grau de intimidade com os recursos de mídia aliados a minha empolgação me fazem ser 1 máquina de tweets quando estou participando de qualquer atividade, não só do seu programa.

Isso tudo do programa de hj foi constatado e me causa alívios em alguns pontos e angústias necessárias em outros.

Sobre o que disse que tem pessoas que deveriam se reverter em caridade, em atos solidários, etc... Pois bem, estou envolvida com alguns projetos e 1 deles, dia 14 irei levar 1 livro pra 1 aluno de 1 CIEP perto de minha casa, isso tudo vindo do Twitter.

Estive envolvida com 1 campanha que contagiou a cantora Maria Rita e ela fará 1 show em prol da causa, que levarei meu livro pra ser doado e estaremos unidos lá no show, e uma amiga minha professora de química que encabeça e fiquei sabendo tem uns 2 dias, olha que linda é a twittosfera quando estamos unidos para fazer o bem sem olhar a quem?

Pois bem, eu uso isso aqui o ano todo muito mais para e pelos outros, sou chamada de maluca em família e amigos de me dedicar tanto à caridade e ao bem, Educar de graça sem ganhar nada por isso, mas não desisto de ser boa e acreditar no Ser Humano e no amor.

Aconselho a todos fazerem o mesmo, pq o bem, fazer o bem a Wesleys da vida, só nos traz crescimento e maturidade, olhar que nós não sofremos em nada e que a vida nos é linda, Deus é maravilhoso e a capacidade de amor é muito maior que qualquer sentimento vil ou julgamento do que não sabem.

Um abraço, bom final de semana,

Cristiana Passinato