quinta-feira, 22 de abril de 2010

Compaixão

Acredito que o amor em movimento seja um ato de compaixão.
Como assim?
Amar e ser amado é questão de compaixão.
Doar-se até quando mais é preciso e se aliviar com o acalento do outro é gesto de amorosidade.
Expandir esse sentimento para o olhar voltado para o outro é dividir e dar as mãos.
Amor só é verdadeiro quando se tem compaixão no coração.
Amor que só cobra e nada se molda para poder ver a dor do outro sanada, não é amor, é egoísmo, egocentrismo, tirania.
Façamos amor do jeito certo, que é trocando gestos de amor com compaixão.
Cruze orações, olhares, sentimentos bons pelos amados, amantes e bem quereres, não só cobremos pra nós o que nem temos sequer para dar em troca.
Mútuo sentimento é aquele que é muito mais bem sentido e eternizado.

Cristiana Passinato