domingo, 8 de janeiro de 2012

Violência dentro de casa: Como e por quê




Arpad, Cristiana Passinato, Débora Sanchez, Luiz Felipe (Química – H341Q)
Professora: Patrícia Telles (2007)
Geralmente, a violência doméstica causa conseqüências irreversíveis para quem a sofre. Dependendo da fase da vida do indivíduo que passa por ela, ainda é pior a situação. Se pensarmos em pessoas em construção e da formação de suas personalidades, ou mesmo no desenvolvimento de sua psique, podemos averiguar vários elementos perniciosos que vêm a crescer. Esses traumas podem evoluir do instante do choque por que passaram – através do ato violento – até que possam recalcá-los ou reproduzir suas reações, mesmo que tardiamente, devolvendo a mesma violência. Pode-se ainda constatar revides até mesmo maiores, isto é, sendo maior a violência do que a sofrida. Isso ocorre por conta do acúmulo de tempo através do qual se guardou aquele sentimento de mágoa contra o agressor.
Esse tipo de exercício, o da violência dessa natureza, não vem sendo única e exclusivamente apontado como prática somente de população de baixa renda. Têm-se constatado casos, constantemente, em vários tipos de castas: desde onde é mais alto o nível social, econômico e cultural até aquelas em que o nível é mais baixo. Sendo assim, a problemática atravessa o cotidiano urbano, rural, metropolitano, interiorano ou qualquer que seja o local. A causa geralmente é regida pela índole do indivíduo, por sua formação e pela saúde mental do agressor. Isso tudo ainda pode ser potencializado muitas vezes pelo uso de drogas lícitas e ilícitas. O alcoolismo é um dos grandes catalisadores para que uma pessoa, que muitas vezes sóbria se controlaria e num estado de embriaguez, não dotando de sua lucidez por completo, se torne um agressor em potencial. O uso de fármacos indevidamente, alucinógenos ou substâncias psicotrópicas, também são causadores de um número acentuado de ocorrências dessas agressões.
Constatou-se que muitos são os elementos que levam a agressão, muitas são as causas, motivos, desculpas, porém a solução passa por um globo de decisões, e nem sempre serão completas e eficazes, mas que, por certo serão iniciadas ou mesmo minimizadas através de melhores: educação, cultura, formação, amor, carinho, atenção, e vários outros fatores que formam uma pessoa menos instintiva e evitam a violência dentro de casa. Um ser humano completo necessita desses elementos anteriormente citados, nada disso é supérfluo ou futilidade, e muitas vezes, ouvimos que são bobagens e quando poderiam salvar vidas e criar famílias mais felizes, ou seja menos violentas.