terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Vozes de mim...


As vozes internas não se calam, mais fácil emudecer o barulho ao redor para elas não terem que gritar, prefiro o sussurro. 

Ouço melhor.
O que vive em mim é sagrado e é gestado até que o parto seja normal, nada de prematuros rebentos gerados pela ansiedade, podem nascer defeituosos.
Da dor pode nascer algo saboroso é só saber maturá-la para que se transforme em força para o amor saudável e de verdade.
Nada se perde, tudo se ganha, quando se tem sabedoria de utilizar tudo em benefício do aprender.
Às vezes dói, mas cura mais forte.
Não se dê tanto valor, olhe um pouco para o lado e admire o que tem de bonito e digno no outro, é um exercício de doação necessário.
Transforme o que é ruim em bom e o que é bom em melhor ainda, seja alquimista de sua própria vida, para não se amargurar e ferir tanto.
Do tumulto de mim mesma saem entrelinhas de verdades claras e necessárias, são vindas vivências e dores do acaso, escritas para o crescimento.
Assim cresço e vou andando, e não mais me martirizando, melhor aceitando o que a vida me dá sem lamúrias e mais sorrisos...


Cristiana de Barcellos Passinato

“Quem salva a alma, salva tudo. Quem a perde, perde tudo.” (Dom Bosco)