sábado, 21 de abril de 2012

Administrando decepções

É tão difícil saber de terceiros um esteriótipo ou julgamento de alguém que achávamos que conhecíamos e que nos conhecia errado.
A decepção de ser injustamente julgado e rotulado é muito grande e muitas vezes é difícil digerir o sapo que temos que engolir desse fato.
Decepção de cair a máscara de pessoas que não imaginávamos ou não queríamos acreditar que usassem tais ferramentas, as de se fantasiar do que não são ou mostrar quem realmente são.
Muitos usam proteções e armaduras que podem ser encaradas como falsidades.
Quando se descobre que alguém é falso conosco ou a suspeita apenas disso, nos magoa, dói.
Lidar com esses sentimentos dúbios é muito difícil, precisamos ter sabedoria e pedir a Deus discernimento.
Termos consciência de que não devemos nos vingar, fazer com que paguem na mesma moeda.
Cabe buscar nossos erros, corrigir e dar a outra face, sermos misericordiosos e aceitarmos que ninguém é obrigado a nos aceitar com nossos erros.
O melhor é deixar o tempo passar, dialogar se possível, e seguir de forma mais leve, fazendo a nossa parte e não gerando mais ódio, e sim Amor na forma de perdão.
Perdão é uma espécie de amor em potencial, guardado no coração e acionado quando somos magoados e não devemos magoar também e sim ter compaixão, entender que o ser humano não é perfeito e tem muitas limitações. Bem como você.
Eu estou aprendendo muito com minhas dores, decepções, pois por mais que sejam dolorosas, quando curadas me fortalecem, pois são transformadas em lições de vida.
A maturidade está em saber transformar dor em lição.

Cristiana de Barcellos Passinato