quarta-feira, 2 de maio de 2012

Banhos filosóficos...

Hoje pela manhã estava no facebook e twitter escrevendo sobre me ver nua no espelho e meu banho.
Pensando na coragem de encarar minhas imperfeições de frente, mesmo que as melhorias de uns tempos para cá tenham sido óbvias e tão visíveis que estou me enfrentando novamente. Sim, pois não tinha coragem de ao menos me olhar mais no espelho.
E refletia também o quanto é importante o banho para mim de manhã.
Não só no sentido de me higienizar, mas de acordar, ganhar mais disposição, renovar as células superficiais mortas e lavar a alma.
Uma noite pode ser sombria e o pranto pode ser doído e as lágrima cristalizarem enquanto dormimos e o salgado impregnar no corpo e virar ou azedume ou amargor, mas prefiro ao levantar ir pro banho e escorrer todo esse sal e dor que vai com as lágrimas através da água que lava, aquece e refresca ao mesmo tempo e alimenta.
A água que bate no nosso corpo e nos lava é a mesma que ao bebermos nos permite as reações químicas e que nosso metabolismo funcione...
Sim, a importância disso tudo hoje é de restauração e de alimentação de uma nova mulher que a cada dia e a cada banho aprende muito e sempre está disposta a seguir em frente.

Cristiana de Barcellos Passinato