quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Vamos pensar


Me deparei com esse quadrinho e pensei na artificialidade do mundo, das relações e dos nossos gestos atualmente.
Como deixamos de ser nós mesmos e fazermos o que queremos em prol do que está em volta, de outras pessoas e tudo mais.
Fico pasma como há pessoas que para serem aceitas deixam de lado sua autenticidade.
Buscam conquistar alguém sendo parecida ou tentando dissimular algo que não são para atrair alguém.
O engano é que além de algo transparecer como artificial e superficial, além disso o tempo desmascara tais fantasias.
O pior é quando a pessoa perde completamente a identidade e vive em função do que não é, esse é o mais triste.
Por isso bato na mesma tecla quando escrevo em redes sociais: não se troque por ninguém, por mais incompleto e imperfeito, todos somos e é nas diferenças que as relações se alimentam e se efetuam, não seja outra pessoa para conquistar e nem agradar a quem quer que seja, isso tudo é ilusão e não vale a pena.
Ainda sobre o quadrinho acima: se permita sempre fazer o que dá vontade, não se sabe o dia de amanhã, imagine viver em função do que os outros mandam e querem o tempo todo, é morrer aos poucos e não viver nada como gostaria.

Cristiana  de  Barcellos Passinato