segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Inversão do calar - Mario Sergio Cortella (Reflexão e Provocação)


Não há Educação sem limites, nem a de berço, de casa e nem a escolar.
Cortella traz uma questão muito interessante e pede um equilíbrio, remetendo a uma citação de Mario Quintana bastante intrigante que diz assim:

Quando guri, eu tinha de me calar, à mesa: só as pessoas grandes falavam. Agora, depois de adulto, tenho de ficar calado para as crianças falarem.

-- Mario Quintana

Pois bem, aconteceu o mesmo comigo, ainda na minha geração...
Sempre fui muito expansiva e ficava um tal de "ela é muito inteligente, deixa ela falar" e meus pais "Cristiana, em conversa de adulto criança não se mete..."
Não convivo em casa com muitas crianças, mas sou educadora, professora e sinto exatamente isso: eles tudo podem falar, reclamar e ter direitos e nós, os adultos, os professores... NÃO!
Quero deixar esse tópico, áudio e máxima provocativa como reflexão e peço que comentem e repassem para discutirmos o assunto...
Qual seria o ponto de equilíbrio, afinal?

Bom dia, boa semana,

Cristiana de Barcellos Passinato