sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Tendência pelo negativo de tudo...



Cris Passinato

Há uma tendência fortíssima ao negativismo no mundo moderno.
Ontem fui a uma peça de texto leve, atuação muito boa de seus atores, o ambiente maravilhoso, e um astral muito legal.
Tá bom! Não foi uma super produção, nem tão pouco foi lá aquela peça densa que prendesse o público do seu início ao fim da trama, mas valeu a pena.
Só por ver alguns atores e atrizes em cena, sair de casa, buscar o sorriso, conhecer algumas pessoas na plateia já vale algo.
Estamos acostumados a reclamar de tudo.
Sim, pois apesar da chuva, estávamos vivendo a réplica do inferno de tão calor, e a temperatura aqui do Rio baixou vertiginosamente para sairmos na noite de ontem.
Foi agradável, ora essas...
Não digo que foi a melhor peça que vi na vida, mas também não vou dizer que foi a pior. Talvez do teatro que frequento, mas também não fui a muitas.
Ouvi um grupo de senhorinhas balbuceando entre dentes: "Mas que texto fraquinho, não?".
Sim, achei o texto fraco, mas a atuação salvou, foi maravilhosa.
Até a menina da peça foi muito bem.
Taí, quando o elenco é bom, vão-se os anéis, mas ficam os dedos, literalmente.
Achei "Garota do Adeus", bem como as senhorinhas fraco, mas vale pela atuação de Maria Clara Gueiros e de Edson Fieschi, a menininha que faz a filha da Paula (Maria Clara Gueiros) dá um show!


Sim, valeu o esforço de me arrumar e sair para o teatro, mesmo que não tivesse sido uma peça como um Shakespeare da vida...
Nem tudo precisa ser pesado, denso, ou uma superprodução como musicais da Broadway, como estamos começando a nos viciar.
Vamos tirar o lado bom de nossos fracassos e do que não foi lá como imaginávamos?


Leia mais sobre a peça nos links indicados abaixo: