sábado, 15 de fevereiro de 2014

Comentário sobre a lenda do "Escorpião e o mestre do oriente"

A primeira vez que ouvi alguém contando essa história foi na Canção Nova, na rádio, no programa de meio dia que eu ouvia religiosamente todos os dias durante uns 3 anos do Gabriel Chalita. Ele leu e interpretou esse conto e comentou. Realmente, lembrando bem de tudo que foi dito, e refletindo, a gente não deve culpar alguém por nos prejudicar, mas sim por nós nos permitirmos usar, machucar, etc... Pois muitas vezes sabemos a natureza da pessoa, mas mesmo assim confiamos ou então algo diz, desconfiamos, e tudo mais, mas damos uma chance, ou nos permitimos ser bons e deixamos a pessoa fazer o que quer conosco... Mas aí, temos que ter a consciência que é a tal história, a natureza da pessoa, o instinto dela é como o do escorpião, morder depois de salvo. Assim como o escorpião, há pessoas assim, que estão no fundo do poço, damos a mão e essas pessoas enquanto não nos vêem lá não sossegam e então nos puxam e nos levam pra lá e quando submergem daí que ainda nos pisam e nos afundam muito mais nos deixando pra trás arrasados e sozinhos. Há pessoas assim. Cuidado.


"vale muito a pena ler"

O Escorpião 

Um mestre do Oriente viu quando um escorpião estava se afogando e decidiu tirá-lo da água, mas quando o fez, o escorpião o picou. Pela reação de dor, o mestre o soltou e o animal caiu de novo na água e estava se afogando de novo. O mestre tentou tirá-lo novamente e novamente o animal o picou. Alguém que estava observando se aproximou do mestre e lhe disse:
— Desculpe-me, mas você é teimoso! Não entende que todas as vezes que tentar tirá-lo da água ele irá picá-lo?
O mestre respondeu:
— A natureza do escorpião é picar, e isto não vai mudar a minha, que é ajudar.
Então, com a ajuda de uma folha o mestre tirou o escorpião da água e salvou sua vida.
Não mude sua natureza se alguém te faz algum mal; apenas tome precauções. Alguns perseguem a felicidade, outros a criam. Preocupe-se mais com sua consciência do que com a sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam, não é problema nosso... é problema deles.