domingo, 9 de março de 2014

Vertigem noturna...


Perdida em versos meus insones suspiros entre Pessoa, Drummond, Florbela ou Cecília Meirelles... Mistério de Allan Poe... Palavras me atraem.
A noite parece infinita e eu rumando sem direção. Sem menor noção de onde vim e nem para onde vou.
Os olhos já não vêem nitidamente e embaralham letras e entontecida entro em transe de uma vertiginosa visão... Só viajo e sinto... Suspiro.