domingo, 28 de setembro de 2014

Marina Silva não é uma cobrinha medieval e fundamentalista da floresta

Quero ter o direito de concordar e publicar o texto desse querido amigo e pensador político da UFRJ, o professor e querido colega Paulo Baía.
Ele descreveu com propriedade e conhecimento de causa a minha candidata, que eu tenho honra de votar, pois é uma mulher de fibra, de luta e que tem um discurso coerente com sua ação e muito pelo contrário do que dizem, Paulo discorre em seu texto suas características melhor que eu.
Segue o texto, abaixo:
Eu não vejo Marina, como vem sendo dito em muitos locais, como uma cobrinha medieval e fundamentalista da floresta.
Não a comparo com Dilma, Aécio, Fernando Henrique ou Lula.
Apenas penso que ela, até agora, tem uma história de vida emblemática e admirável.
Marina, mulher e mestiça, tem o DNA desconhecido por nós, pois é produto de regiões do país onde a simples sobrevivência já é um mérito.
Sou fã de Marina e seu vanguardismo.
Um vanguardismo pleno, alegre e necessário para os dias atuais.
Conheço Marina desde 1982.
Ela fez muitas coisas positivas desde então.
Marina foi uma das pioneiras a pautar o legislativo e o executivo por direitos individuais, coletivos e difusos.
Toda a legislação e políticas públicas sobre o social e o ambiental de 1983 para cá tem o toque criativo, proativo e enriquecedor de Marina Silva.
Sei que não é fundamentalista religiosa e muito menos uma reacionária.
Pelo contrário, é uma mobilizadora de bons afetos, humores e ideais transformadoras.
Suas ações de 1982, quando a conheci, até o tempo presente, são coerentes e a cada dia mais ousadas.
Por conhecer Marina, eu dou crédito a todas as suas propostas.
Volto a afirmar, sou fã do vanguardismo de Marina Silva.
Sou fã do ser humano que Marina é.
Amigos e amigas, se quiserem, leiam o programa de Marina Silva.
Se não, continuem a repetir o que vocês ouvem.
Para mim, o importante é que vocês se sintam bem e felizes.
Eu não sou de polemizar nem de pedir votos.
Manifesto aqui minhas opiniões e sentimentos.
Por vicio profissional, só o faço com base empírica e de vivência.
Respeito o outro como o outro é, como princípio de vida.
Assim, vocês têm todo o direito de discordarem de minha visão e comportamento de vida.
Talvez sejamos radicalmente diferentes em questões políticas e na percepção em relação a Marina Silva.
É da vida o contraditório.
Reafirmo que no tempo presente Marina Silva é uma vanguardista necessária, em todas as frentes da vida que pulsa e da dinâmica sociedade brasileira.
Sou a cada dia mais fã de Marina Silva.
Paulo Baía
Sociólogo e Cientista Político da UFRJ
26/09/2014