sábado, 18 de outubro de 2014

Meus versos, minhas vestes...

Me desnudo... Meus versos são a roupa que tiro e jogo ao vento e nua pareço, sem pudor de me mostrar... Essência totalmente exposta. Quem quiser sentir meu cheiro, meu teor, leia meus versos... É neles em que está o que sou, o que fui, o que serei... E até o que sonho e desejo. Leia-me para saber quem sou.

Sobre a imagem:

Pintor belga Théo van Rysselberghe (1862-1926). Em 1887, ele descobriu as obras de Georges Seurat e encontrou-se atraído a técnica pontilhista, mas, no final do século, substituiu o Pontilhismo de suas pinturas com um composições de toque mais ampla, com grandes tiras oblongas de cor. (Traduzido por Bing)