domingo, 7 de junho de 2015

Fêmea...

Janos Laszlo Aldor (Hungarian, 1895-1944)
Assim, mulher, simples e sofisticada... Cheia de talentos, mas sempre enunciando o seu maior de todos eles, o amor... Amar é sempre a vocação maior de toda fêmea. Seja seus machos, suas crias ou quem quer que esteja por perto e seja sedento e carente do seu colo. Colo que tem um órgão mais latente que até o coração ao meu ver. O útero. Não há como explicar o que é essa coisa de ser mulher. Somos diferentes, somos ímpares, somos mães do universo.