domingo, 18 de outubro de 2015

Excelente lembrança: Bodas de Caná.

Tão bom ler esse tipo de análise sobre a história sobre o primeiro milagre de Jesus.
A participação tão marcante de Maria, sua mãe, em sua primeira missão como nosso salvador.
Às vezes, o que nos é preciso é contextualizar o conhecimento bíblico e não só usá-la como instrumento de autoajuda, ou leitura literal como vejo muitos irmãos evangélicos fazerem, mas saber traduzir os signos e as mensagens que estão presentes de forma intertextual pelos seus livros.
Leia o que Gabriel Chalita trouxe de contribuição para isso, na coluna semanal aos domingos, no jornal Diário de SPaulo: