domingo, 4 de outubro de 2015

Não sou mais o que fui um dia...

Somos eternos mutantes. Readaptados vencemos barreiras, pois nadamos contra correnteza o tempo todo e por isso, naturalmente fortalecemos músculos. A vida nos ensina e ela diz que, como Cazuza cantava, "o tempo não para". Portanto, vivamos sem medo das mudanças e das adversidades, pois elas nos embelezam a alma e mesmo que a carapaça esteja já um pouco mais gasta e não mais a contento com tanto vigor, a beleza é essencial e vem de dentro, não de fora. Bom dia, bom domingo e boa semana a todos.