domingo, 15 de novembro de 2015

Convocação ao pensar...


Na velocidade dos acontecimentos, da informação e da comunicação a reflexão tem que ser exercitada e vir como um flash de luz. Se não refletirmos 24h de forma crítica a tudo que nos vem aos olhos, somos fadados a sermos engolidos pelo que quer a mídia. Não nos entreguemos. A reflexão é sim exercitada, se conseguirmos fazê-la o tempo todo, será o fim do consumismo exacerbado de tudo pronto como está sendo feito. Navegar contra a correnteza é difícil, mas é possível e vencer a maré é bem recompensador. Não se entregue. Lute. Pense!

Podemos afirmar que para Deleuze, o pensamento que se dá pela diferença, não se constitui pela identificação e representação do objeto, mas, sobretudo, a partir de discordâncias de possibilidades. Segundo a idéia do pensamento através de recognição, a homogeneidade e o permanente do mundo é o que há para ser conhecido através do pensamento. Para Deleuze (1988, p.243): Sabe-se que pensar não é inato, mas deve ser engendrado no pensamento. Sabe que o problema não é dirigir, nem aplicar metodicamente um pensamento preexistentente por natureza e de direito, mas fazer com que nasça aquilo que ainda não existe [...]. Pensar é criar, não há outra criação, mas criar é antes de tudo, engendrar, “pensar” no pensamento.