domingo, 13 de dezembro de 2015

Tudo é tão fluido, até as relações, hoje em dia...

Não entendo uma coisa: tem pessoas que não me conhecem, não fazem esforço algum pra isso e já se dizem não gostar de mim. 
Ok. Direito delas. 
Porém, ao meu entender a gente só não gosta daquilo que conhece e prova, e se prova não gosta. 
O simples fato de dizer que "o santo não bate" é preconceito e todo e qualquer tipo de preconceito ao meu ver é por demais pernicionoso. 
Não entendam isso como uma mendigagem de afeto ou de migalha de atenção, não... 
Simplesmente eu quando não vou com a cara de alguém, eu tento de todas as maneiras conhecer, conviver um pouco, observar as ATITUDES dessa pessoa e se aí eu não for mesmo compactuar ou simpatizar, em algum motivo que essa pessoa me dê, eu me afasto. 
Acho que isso é que é o normal, né? 
Mas não, hoje em dia, se você discorda ou contraria na primeira impressão, a pessoa já determina deletar você do mundo dela. 
Pessoas estranhas com as quais estamos convivendo, mesmo sem convivência nesse mundo. 
É a tal sociedade líquida que Bauman tanto discute. 
Tudo é fluido e deletável.