terça-feira, 26 de janeiro de 2016

[Comportamento] Até onde, ao meu ver pode ir a curiosidade de um fã.


Eu acho que tem pessoas que confundem seguir com perseguir. Só acho. Uma senhora veio me contar que foi a uma missa que uma determinada celebridade que acompanho foi, em SP. Depois essa senhora desdobrou que esteve perto do prédio onde a pessoa tem apartamento e exclamou: "Chiquérrimo!" Daí ainda veio me dizendo uma série de hábitos e lugares onde ele frequenta com assiduidade. Achei engraçado que há anos acompanho essa pessoa e nunca me permiti ficar reparando onde ele faz alguma coisa com frequência pra ir a ele. Acho que a intimidade de uma pessoa pública, a sua privacidade deva ser respeitada e preservada, para evitar maiores desgastes e sufocamento. Eu não curto e nem estimulo tal prática. Essa pessoa passou semanas no Rio e marcou lugares no instagram, eu poderia ir e não fui a nenhum. Acho invasivo, inconveniente, sufocante. Eu já acho que online possa ser meio, mas tento ajudar. Penso assim. As pessoas estão perdendo um pouco do bom senso, da boa educação, de limites... sei lá. Online, eu estou tentando dar uma podada faz um tempo de meus excessos, e cada dia estou mais reservada, e acredito que o momento seja disso. Não custa, já que eu admiro e gosto tanto da pessoa, preservar e não expô-la, e nem sufocá-la. Como professora, tenho vício de ensinar. Educar. Toquei nesse assunto aqui em aberto, pq acho que mtas pessoas podem ser tocadas e melhorem.
Cristiana Passinato