sábado, 9 de julho de 2016

Dia vazio, silêncio que fala e nos mostra o quanto somos nós mesmos...


Há dias que o silêncio é tanto que incomoda.
Mas ao mesmo tempo os gritos interiores vão se organizando e quando a paz chega eles vão ficando mais nítidos.
Vemos a real importância do fazer nada para nos reconhecermos.
Vermos com nitidez o que é prioritário, o que precisamos consertar, o que precisamos rever, o que precisamos fazer e nos cuidar.
Listamos e vamos fazendo uma por uma cada pequena necessidade e com isso feito, tudo vai ficando mais calmo.
O escuro começa a virar penumbra e o silêncio que irritava e angustiava dá vez a uma música suave que nos embala um sono que traz sonhos lindos e serenos.
Assim descansamos e nos recarregamos para mais uma série de dias que não podemos nem sequer dar vazão a esse tipo de nada.
Ócio é importante. Prazer é necessário. Lazer é mais que obrigatório.
Precisamos das pausas para nos reconhecer e conhecer melhor.
Precisamos da ausência de barulho e obrigações para nos permitir sentir vontade de estarmos conoscos mesmos.
Precisamos desse encontro, desse diálogo em silêncio de nosso corpo com nossa alma.
A maior e mais bela oração feita por nós é feita no nosso momento dessas ausências, só assim ouvimos a voz de Deus e nos sentimos acompanhados dessa presença em nossa vida.
É do nada que o tudo nos envolve.
Bom domingo!