segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Dias de reflexão e crescimento.

Pra mim a ciência e a minha vida estão se entrelaçando...
Não temo as mudanças. Se forem para o melhor. Se forem para o bem. Que venham todas!
Ler Bachelard pra mim foi muito recompensador, pois ele fala que na ciência, o erro tem um valor imenso. O "não", a negação causa a psicologização do processo dialético de construção do conhecimento.
Ser uma pessoa em evolução não é ruim. Errar muito menos. Isso cientificamente é produtivíssimo. Geralmente escamoteamos nossos erros, defeitos e ñ nos permitimos fazer o processo dialético do conhecimento, da evolução do nosso espírito.
Precisamos do processo de análise dos nossos próprios erros e a partir dessas reflexões buscar as modificações, saindo do realismo ingênuo... Até o racionalismo discursivo.
Assim era feita a teoria da negação de Bachelard, que se inspirava muito nas teorias psicanalíticas de Freud. Bachelard foi um encontro muito interessante, depois com a Letícia Parente, e esse processo de conhecimento está me modificando demais.
É bom me sentir imperfeita, negar para evoluir e construir um espírito mais evoluído e buscar melhorias e racionalizar meus processos.
A cura interior é algo que advém de processos de conflitos internos entre o eu anterior e o eu que se quer lá no fundo conquistar ser.